Banco Central avalia que economia deve voltar a crescer nos últimos dois trimestres de 2020

No balanço geral, a previsão é de estabilidade no crescimento

Pressionado pelo impacto causado pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o Banco Central (BC) revisou a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,2% para estabilidade. Essa informação é encontrada no Relatório de Inflação, divulgado  pelo BC a cada três meses. O relatório apontou um recuo acentuado do PIB no segundo trimestre e a volta do crescimento só é esperada nos últimos dois trimestres do ano.
 
A melhora no prognóstico para a safra de grãos puxou para cima o crescimento do setor agropecuário, com previsão de crescimento de 2,9%. O setor de comércio e serviços que antes tinha previsão de aumento de 1,7%, agora tem que se contentar com a estabilidade. 
 
O setor industrial teve a previsão de crescimento reduzida de 2,9% para queda de 0,5%. O motivo foi a diminuição na demanda final, principalmente por bens de consumo duráveis e de capital, além de uma provável redução na oferta que vem junto das restrições impostas pelo isolamento social e escassez de insumos importados em alguns setores.
 
O BC explicou que o crescimento do setor de extração recuou de 7,5% para 2,4% por causa de uma menor demanda por minério de ferro e petróleo, devido principalmente ao cenário de desaceleração mundial. 
 
A situação é ainda pior para o setor da construção. Ao invés de ter algum crescimento, tem previsão de retração de 0,5%. A estimativa anterior era de crescimento na casa dos 3%. A queda no setor é devido ao comportamento de maior cautela das famílias e dos empresários do ramo.
 
O consumo das famílias que antes tinha crescimento previsto para 2,3%, recuou para 0,8%, repercutiu os impactos esperados da pandemia sobre o comportamento dos consumidores. 
 
Fonte: Portal Contábeis (https://bit.ly/2R7B5f8)
Imagem: Uol Economia

 

Próximo postRead more articles