Tributos, tributos e mais tributos

A vida do empresário brasileiro não é nada fácil. Muitas são as lamúrias de empregadores endividados e revoltados com a crescente demanda de tributos fixados. Há quem afirme que os empresários brasileiros trabalham apenas para pagar as contas.

Despesas com pagamento de funcionários, altos tributos, pagamento de fornecedores, além do aluguel do estabelecimento, são o motivo de metade das empresas abertas no Brasil fechar em até três anos.

Somem-se a isso gastos com seguro, segurança patrimonial, faturas de internet, telefone, água e luz, impostos sobre impostos, serviços básicos taxados nas alturas, gasto com salários que envolvem férias anuais, 13° salário, recolhimento de FGTS, verbas rescisórias, como aviso prévio, multa sobre o FGTS, saldo de salário, férias proporcionais, décimo terceiro proporcional e outras verbas.

Não há custo-benefício

Com uma das cargas tributárias mais altas do mundo, o empresário brasileiro é severamente castigado. E quando comparamos nossa situação com a de outros países da América do Sul que possuem cargas tributárias menores, descobrimos ainda que os serviços públicos oferecidos por lá são melhores e com maiores investimentos em qualidade.

O empresário brasileiro tem tanto imposto para pagar que é difícil lembrar de todos eles: II; IOF; IPI; IRPF; IRPJ; ITR; Cide; Cofins; CSLL; FGTS; INSS; PIS/Pasep; Impostos estaduais; IPVA; ITCMD; Impostos municipais; IPTU; ISS e ITBI. E agora o governo defende o retorno da CPMF.

Falta de qualidade pública

Devido à má qualidade dos serviços públicos oferecidos como transporte, segurança e infraestrutura, o empresário é um dos mais prejudicados. Tomando uma empresa de transportes como exemplo, às más condições das estradas geram maior tempo de deslocamento, faz o frete ficar mais caro, aumenta o valor do seguro (assaltos em rodovias são frequentes) e, em alguns casos, até escolta armada é necessária. No final das contas, a falta de investimento do poder publico acaba por encarecer o produto para o consumidor.

 

Fonte original: www.administradores.com.br

Imagem: http://diariorondon.com.br/

Próximo postRead more articles