O dólar pode estar perdendo seu protagonismo mundial?

O dólar pode estar perdendo seu protagonismo mundial?

Mesmo sendo uma potência mundial, os Estados Unidos estão sendo ameaçado pela ascensão da China

É de conhecimento comum, bem comum mesmo, de que todas as moedas no mundo têm seu valor atrelado ao dólar e isso vem desde o final da Segunda Guerra Mundial. De lá para cá, acordos, contratos, cotações e transações comerciais usam o dólar como referência. Com o mercado cada vez mais diverso e a ascensão da China, esse protagonismo da moeda americana pode estar perdendo força.

Economistas, em entrevista, discutiram sobre o poder do dólar. Para o diretor da FEA (Faculdade de Economia, Administração, Contábeis e Atuariais) da PUC-SP e presidente do Conselho Federal de Economia, Antônio Corrêa de Lacerda, o dólar não vai perder o protagonismo, pelo menos nos próximos cinco anos, já que, por enquanto, é mais fácil operar em dólar.

A moeda americana é vista como um investimento seguro, porque mesmo durante as crises mundiais, o dólar se fortalece. Pode-se citar o exemplo da crise de 2008,quando a maioria das moedas teve o valor depreciado, mas o dólar, ao contrário, teve seu valor aumentado. 

Para Sidnei Nehme, economista da NGO Corretora de Câmbio, o dólar não irá perder a sua soberania. Isso acontece porque os Estados Unidos ainda são a maior potência mundial e o dólar é uma referência sólida. Trocar a moeda referência agora seria de uma complexidade tremenda. 

A China é uma potência econômica mundial, disso não há dúvidas. O que resta saber é se ela será a maior nos próximos anos. Os especialistas hesitam sobre a possibilidade do yuan ser a moeda forte, ao invés do dólar. A China precisa ter credibilidade institucional para que sua moeda seja vista como um investimento de baixo risco a longo prazo. 

O sistema político chinês é muito opaco (sombrio), seu banco central não tem independência e há muitas perguntas sobre o controle institucional das diferentes agências reguladoras.

Também é um empecilho o fato da China não ser uma democracia e o yuan ser manipulado. O governo chinês também não tem interesse em internacionalizar sua moeda, para não perder o controle sobre a mesma, já que quem definiria o câmbio seria o mercado.

O que está acontecendo no mundo é uma diversificação nas reservas internacionais. O yuan gradualmente vai continuar a crescer e o dólar vai acabar perdendo sua importância futuramente, mas isso é algo a acontecer nos próximos 10 a 15 anos.

Embora a participação do dólar nas reservas internacionais ainda seja muito alta, ela caiu com o passar dos anos. Há 20 anos, 80% das reservas mundiais eram referenciadas em dólar, hoje esse número caiu para 60%.

Fonte: Uol Economia (https://bit.ly/2T8rDJl)

Imagem: Revista Exame

Próximo postRead more articles