Saiba quais são os erros mais comuns que te jogam na Malha Fina

Quantas pessoas que você conhece já caíram na malha fina? No ano passado, foram 617 mil. Com tantos cruzamentos e mudanças, é imprescindível contar com um contador para elaborar sua declaração. Ele é o especialista na área.

As estimativa é que o Imposto de Renda de 2016 receba 28,5 milhões de declarações. Embora o contribuinte queira fazer tudo certo perante o Fisco, o grande temor é o de cair na Malha Fina. A Receita Federal se aprimora ano após ano e seus mecanismos de verificação de discordâncias e inconsistências ficam cada vez mais apurados. Por isso, em 2015, 617 mil declarantes do Imposto de Renda ficaram retidos na malha fina.

O sistema da Receita Federal está cada vez mais preciso e eficaz no cruzamento de informações. Só que agora a RF consegue fazer isso mais rápido do que nos anos anteriores. Somente em 2015, 180.755 declarações tiveram problemas sobre falta de informações referentes aos rendimentos do titular e de seus dependentes, correspondendo a 29,3% do total retido.

24% das declarações que foram pegas na malha fina eram referentes a inconsistências de informações sobre as despesas com previdência oficial ou privada. Comprovantes de despesas médicas somam 21% das retenções. A não comprovação da retenção na fonte do Imposto de Renda pela fonte pagadora foi responsável por 7,1% e a omissão de informações sobre rendimento com aluguéis representou 5,6% do total retido. Completando a lista, os indícios de falsidade em dados sobre pensão alimentícia representaram 5,3% das declarações retidas.

Caso o contribuinte seja notificado pelo Fisco e perca o prazo da retificação, será preciso pagar multa de 1% ao mês ou fração de atraso calculada sobre o valor do imposto devido, partindo de R$ 165,74 até 20% do imposto devido. Se mesmo assim o contribuinte não pagar o que é devido a Receita Federal, ele será inscrito na Dívida Ativa da União e tem o CPF bloqueado. Isso significa perda do direito de financiamentos e compras no crediário, além de implicações de penhora de bens.

Existem maneiras simples de não ter problema com o Leão, uma delas é contratar um profissional em contabilidade. O contribuinte que optar por declarar ele mesmo precisa ficar atento aos prazos e não omitir nenhum dos dados solicitados, além de não usar nenhum dado que seja diferente do da nota fiscal recebida.

 

Fonte original: http://contadores.cnt.br

Imagem: Isto É

Próximo postRead more articles